Especialista Caio Katayama, sócio fundador da Ótris, lista 5 dicas para proteger o seu negócio de calotes

Inadimplência no Brasil é motivada, entre outros fatores, pela redução de investimentos e o aumento do desemprego

Ao longo de 2016, o Brasil registrou níveis elevados de inadimplência. De acordo com dados do indicador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), foram mais de 58,5 milhões de pessoas que deixaram de honrar algum compromisso no ano passado, o que representa 39% da população adulta do País.

A redução de investimentos e o aumento do desemprego foram alguns dos fatores que contribuíram para o avanço da inadimplência – questão amplamente prejudicial às empresas, que sofrem com reflexos diretos ao caixa.

Pensando neste problema, Caio Katayama, sócio-fundador da Ótris, empresa especializada em recuperação de crédito, listou cinco dicas para que os empreendedores minimizem os riscos de calote em seu negócio. Confira:

1) Evite conflitos

Não entre em confronto com seu devedor. Isto pode ser constrangedor e até mesmo perigoso. Existem profissionais no mercado que podem ser úteis ao seu negócio no momento em que você precisa receber pela venda ou serviço que prestou.

2) Foco em quem paga bem

Não desperdice tempo com “caloteiros”. Isso vai fazer apenas com que você se estresse e perca outras boas oportunidades. Foque nos bons pagadores, pois eles são capazes de fazer a diferença nos resultados da sua empresa.

3) Conheça seu cliente

Para evitar dores de cabeça com os inadimplentes, é importante saber com quem você está negociando. Cheque os documentos e procure fazer  uma análise de crédito. Se você presta serviços ou fornece produtos, também é interessante fazer um pequeno contrato de venda, pois este documento reduz as chances de calote.

4) Esteja atento

Procure sempre identificar pessoas mal-intencionados. Vale ficar atento aos clientes que procuram por produtos ou serviços mais caros e não demonstram nenhum tipo de preocupação com os valores em questão – postura comum aos maus pagadores.

5) O primeiro boleto

Para quem fatura por meio de boleto, é importante prestar atenção no pagamento da primeira parcela para evitar problemas com a inadimplência. Grande parte dos clientes que atrasam a fatura inicial não serão bons pagadores. Tome cuidado para que o tamanho da dívida não fique grande demais e acompanhe de perto as pessoas com este perfil.

Foto: Shutterstock

Matéria original publicada em:

https://goo.gl/Lpt9qX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *